e-revista Brasil Energia 484

Brasil Energia, nº 484, 30 de novembro de 2023 9 No PE 2024-28+, a Petrobras também marca seu retorno ao segmento de fertilizantes, com planos de retomar a operação da Ansa e a conclusão das obras da UFN 3. Com capacidade de produção de 1.975 t/dia de ureia e 1.303 t/dia de amônia, a Ansa está hibernada. A Petrobras tentou vender a unidade anteriormente, mas o processo não chegou a ser concluído. A unidade está 80% completa e tem a vantagem de estar perto do Gasbol. Oferta de gás A Petrobras pretende investir US$ 7 bilhões em projetos de gás, com foco em ampliação da infraestrutura e portfólio de ofertas de gás natural. “Em 2024, entra em operação o Rota 3 com planta de processamento com capacidade de 21 MMm3/ dia e gasoduto com capacidade de 18 MMm3/dia. Em 2028, entra em operação o gasoduto do Projeto Raia (BM-C-33), com capacidade de 16 MMm3/dia; e, em 2029, o gasoduto do projeto Sergipe Águas Profundas – SEAP, com capacidade de 18 MMm3/dia”, afirmou a petroleira. Transição energética A Petrobras destinará US$ 11,5 bilhões para projetos de baixo carbono nos próximos cinco anos, mais que o dobro do plano anterior. Segundo a companhia, as iniciativas serão voltadas a projetos de descarbonização das operações assim como o desenvolvimento e amadurecimento de negócios no segmento de energias de baixo carbono, com destaque para biorrefino, eólicas, solar, captura, utilização e armazenamento de carbono (CCUS) e hidrogênio. Investimento baixo carbono Fonte: Petrobras

RkJQdWJsaXNoZXIy NDExNzM=