e-revista Brasil Energia 484

76 Brasil Energia, nº 484, 30 de novembro de 2023 empresas TechnipFMC entrega primeira árvore submarina aos campos de Búzios 6 a 9 A TechnipFMC entregou a primeira árvore submarina para os campos de Búzios 6 a 9 da Petrobras, no âmbito do contrato firmado em junho de 2021 com a estatal. Os campos estão localizados no pré-sal da Bacia de Santos. O contrato fechado com a Petrobras – considerado “substancial” pela TechnipFMC, estando entre US$ 250 a US$ 500 milhões – prevê o fornecimento de árvores submarinas com controles (que serão fabricadas em instalações da TechnipFMC no Brasil), unidades de distribuição elétrica e hidráulica, sistemas de topside, e serviços de instalação e intervenção de suporte com ferramentas de aluguel. A TechnipFMC e a Petrobras anunciaram recentemente a assinatura de dois contratos: um relacionado ao fornecimento de tubos flexíveis para campos do pré-sal e outro referente ao serviço principal (master services agreement – MSA) para a execução de trabalhos subsea visando aumentar a vida útil de campos operados pela estatal. A companhia também participa da licitação da Petrobras para contratação do primeiro Hisep submarino (separação em alta pressão), sistema piloto que será destinado ao campo de Mero, localizado no cluster de Santos. A Aker Solutions e OneSubsea também participam da concorrência. EDP vende duas linhas de transmissão à Edify A EDP assinou um contrato para a venda de duas linhas de transmissão para a Edify Empreendimentos e Participações S.A, um fundo gerido pela Actis Assessoria de Investimentos. As linhas EDP Transmissão SP-MG e Mata Grande Transmissão de Energia tem extensão total de 857 quilômetros. O negócio, avaliado em R$ 2,7 bilhões, faz parte da estratégia da empresa de promover rotatividade de seus ativos de transmissão no Brasil. Desde 2017, a EDP atua em diversos projetos e construções de linhas de transmissão no país, atingindo mais de 2.700 km em oito estados. Em 2021, a companhia concluiu a operação de venda à Actis de 100% do capital de três LTs: a EDP Transmissão (Lote 24), a EDP Maranhão I (Lote 7) e a EDP Maranhão II (Lote 11). Um ano depois, assumiu o controle da antiga Celg Transmissão S.A (Celg-T), que passou a se chamar EDP Goiás, por R$ 2,115 bilhões.

RkJQdWJsaXNoZXIy NDExNzM=