e-revista Brasil Energia 484

Brasil Energia, nº 484, 30 de novembro de 2023 7 A Petrobras aprovou o seu plano estratégico 20242028, com investimentos da ordem de US$ 102 bilhões para os próximos cinco anos. O valor, que supera o do plano anterior em 31%, prevê US$ 11,5 bilhões para projetos de baixo carbono. Do total, US$ 91 bilhões correspondem à projetos em implantação e US$ 11 bilhões para projetos em avaliação. Segundo a companhia, o aumento do capex está associado principalmente a novos projetos, incluindo potenciais aquisições, a ativos que estavam em desinvestimento e voltaram para a carteira de investimentos da companhia, e à inflação de custos, que impactou a cadeia de suprimentos. A área de E&P responderá por US$ 73 bilhões (71,5%). Todo o investimento em E&P corresponde a projetos em implantação, com 67% do montante destinado ao pré-sal. Serão alocados US$ 7,5 bilhões (10%) para a atividade exploratória, dividido em US$ 3,1 bilhões na Margem Equatorial, US$ 3,1 bilhões para bacias no Sudeste e US$ 1,3 bilhão para outros países. “Está incluída neste investimento a perfuração de cerca de 50 poços em áreas onde a empresa possui direito de exploração em blocos adquiridos”, disse a companhia no documento. Já a curva de produção considera a entrada de 14 FPSOs, dez dos quais já estão contratados. A expectativa é atingir a produção de 3,2 milhões de boe/dia em 2028. Em seguida, as áreas de Refino, Transporte e Comercialização (US$ 17 bi), Gás e Energias de Baixo Carbono (US$ 9 bilhões) e Corporativo (US$ 3 bilhões) completam a soma total de US$ 102 bilhões. Dos US$ 11 bilhões previstos para os projetos em avaliação, sujeitos a estudos adicionais de viabilidade antes do Novos projetos aumentarão em 225 mil barris/dia a capacidade atual de refino até 2029

RkJQdWJsaXNoZXIy NDExNzM=