e-revista Brasil Energia 484

Brasil Energia, nº 484, 30 de novembro de 2023 69 A canadense Greenlane assinou um contrato de US$ 35,3 milhões (R$ 176,1 milhões no câmbio atual) com a Orizon Valorização de Resíduos para fornecer a solução completa de purificação de biogás de aterro, para produção de biometano, que será instalada em Jaboatão dos Guararapes (PE), onde a empresa opera uma central de tratamento de resíduos sólidos urbanos, batizada pelo grupo como ecoparque. Tecnologia já empregada em outro ecoparque da Orizon, em Paulínia (SP), trata-se do sistema Cascade PSA LF, uma solução que inclui adsorção por oscilação de pressão (PSA, do inglês pressure swing adsorption) de dois estágios. Segundo a Greenlane, a tecnologia envolve várias etapas para purificar biogás de aterro, separando o metano do dióxido de carbono e removendo altos teores de nitrogênio e oxigênio e contaminantes. O primeiro componente a ser removido pelo processo é o sulfeto de hidrogênio (H2S). Em seguida, o biogás é comprimido, resfriado e desidratado antes de haver remoção de componentes orgânicos voláteis (VOCs) e siloxanos. Um meio adsorvente então retém o CO2, nitrogênio, oxigênio e qualquer umidade, gerando o biometano com pureza acima de metano superior a 95%, portanto apto para ser utilizado como combustível ou injetado na rede. A empresa canadense afirmou em comunicado que o cumprimento do contrato se dará imediatamente. A Orizon divulgou que a produção de biometano em Jaboatão dos Guararapes deve entrar em operação no último trimestre de 2024, sendo que o empreendimento já recebeu a licença de instalação em julho deste ano. A estimativa é a unidade produzir 130 mil m3/dia de biometano, sendo que quase metade deste volume já está comprometido em contrato com a distribuidora de gás pernambucana Copergás. O gás natural renovável será injetado na rede de distribuição por meio de um ramal distante cerca de 5 km do local. A negociação ocorreu por uma chamada pública da concessionária. O ecoparque da Orizon na cidade da região metropolitana de Recife recebe entre 105 e 110 mil toneladas por mês de resíduos sólidos urbanos de mais de 20 municípios do estado. Empresa canadense fechou contrato de R$ 176 milhões para implantar a solução completa com a tecnologia PSA na unidade de biometano que entrará em operação em 2024 | POR MARCELO FURTADO |

RkJQdWJsaXNoZXIy NDExNzM=