Brasil Energia | Ed. 475 - Junho, 2022

56 Brasil Energia , nº 475, 15 de junho de 2022 HÍDRICA E nquanto caminha a passos lentos a ampliação do parque hidrelétrico do país, seja por meio de novas usinas ou am- pliação das usinas existentes, a grande in- dústria especializada em equipamentos e serviços, que se desenvolveu no país para atender o segmento, sobrevive com obras de modernização e com a construção de PCHs e CGHs, cobrindo parcialmente a capacidade ociosa. A modernização da UHE São Simão (1.710 MW), que este ano completa 44 anos, com investimento de R$ 1 bilhão em nove anos, é uma dessas âncoras al- ternativas para a indústria. A UHE per- tence à SPIC Brasil, empresa de capital chinês. Outros projetos semelhantes de grandes geradoras estão em curso, sen- do os maiores, em ordem crescente de valor, o da Chesf, envolvendo o comple- xo de usinas do São Francisco (R$ 1,5 bi- lhão), o da CTG Brasil, também de capi- tal chinês, nas usinas de Ilha Solteira e Ju- piá (R$ 3 bilhões) e o de Itaipu Binacional (cerca de R$ 5 bilhões). A Brasil Energia teve acesso a um ro- teiro detalhado da obra de São Simão, iniciada em 2019 e dividida em sete pa- cotes, segundo dados fornecidos pelo di- MODERNIZAÇÃO DE SÃO SIMÃO MOVIMENTA MERCADO Grandes fabricantes e empresas de engenharia, como GE, WEG e Gevisa estão recebendo encomendas com as obras que vão durar nove anos POR CHICO SANTOS

RkJQdWJsaXNoZXIy NDExNzM=