Brasil Energia | Ed. 475 - Junho, 2022

Brasil Energia , nº 475, 15 de junho de 2022 33 um reformador que extrai o hidrogênio, que será combinado ao oxigênio do ar na célula, criando uma reação química capaz de gerar a eletricidade que ali- mentará o motor elétrico. Uma outra vantagem dos veículos com célula SOFC a etanol em relação aos automóveis elétricos tradicionais é que não precisam de uma bateria gran- de, apenas uma versão menor basta. Em entrevista à Brasil Energia , o ge- rente sênior de Engenharia da Nissan, Ricardo Abe, disse que desde o início do projeto já diminuíram o tamanho do sistema, saindo do reformador externo para o interno. Agora, o objetivo é re- duzir custos, fazer um sistema menor e mais leve. Ele também destacou que o primeiro automóvel em 2016 usava ce- râmica, enquanto hoje já está sendo uti- lizado cerâmica combinada com metal, o que traz maior resistência e durabili- dade ao sistema. O uso desse tipo de sistema combi- nado com a alta eficiência dos motores elétricos e o sistema de bateria garan- tem ao Nissan SOFC uma autonomia facilmente superior a 600 km com so- mente 30 litros de etanol. Ainda segun- do a empresa, as emissões são tão lim- pas quanto a atmosfera, se inserindo como parte do ciclo natural do carbono e sendo absorvido durante a plantação da cana-de-açúcar. Pesquisas até 2025 O primeiro período de testes com o protótipo real do sistema foi reali- zado no Brasil entre 2016 e 2017 em cidades como Rio de Janeiro, Curiti- ba, São Paulo e Brasília. Dois veícu- los e-NV200 equipados com o siste- ma SOFC foram testados pela equi- pe de P&D da Nissan do Brasil, que avaliou que as demonstrações mos- traram que a tecnologia se adapta perfeitamente ao uso cotidiano e ao combustível brasileiro. De acordo com Abe, a previsão é que em 2025 seja finalizada a par- te de P&D, que conta com apoio do Toyota Mirai: elétrico a célula de combustível a hidrogênio

RkJQdWJsaXNoZXIy NDExNzM=