Raízen recebe certificação para produzir SAF a partir do etanol

Emitido pela ICAO, documento comprova que o etanol produzido no bioparque Costa Pinto (SP) cumpre requisitos internacionais para a produção de combustível sustentável de aviação

A Raízen informou na manhã desta segunda-feira (21) que recebeu a certificação ISCC Corsia Plus (Carbon Offsetting and Reduction Scheme for International Aviation), emitido pela Organização Internacional da Aviação Civil (OACI, ou International Civil Aviation Organization – ICAO, no inglês), que comprova que o etanol produzido no bioparque Costa Pinto, em Piracicaba (SP), cumpre os requisitos internacionais para a produção de Combustível Sustentável de Aviação (SAF).

Com isso, destaca a companhia, ela se torna a primeira produtora de etanol do mundo certificada.

A OACI é uma agência especializada das Nações Unidas criada em 1947 com 191 países-membros. Seus principais objetivos são o desenvolvimento dos princípios e técnicas de navegação aérea internacional e a organização e o progresso dos transportes aéreos, de modo a favorecer a segurança, a eficiência, a economia e o desenvolvimento dos serviços aéreos.

O ISCC Corsia, esquema de compensação e redução de carbono para a aviação internacional, é um instrumento de mitigação de emissões para lidar com o aumento do CO2 total de emissões da aviação. Foi desenvolvido pela OACI e é primeiro esquema de Medidas Baseadas no Mercado Global (MBM) para um setor da indústria.

“A busca por alternativas mais limpas e sustentáveis é um desafio global e temos a meta de contribuir com este objetivo por meio do etanol da cana-de-açúcar”, afirma Francis Queen, vice-presidente de Etanol, Açúcar e Bioenergia da Raízen. “Com o ganho de produtividade e o investimento em inovação nos nossos processos, conseguimos produzir etanol de forma mais eficiente, portanto, com uma pegada de carbono cada vez menor, atendendo padrões internacionais de sustentabilidade”.

Fonte: Raízen (Clique na imagem para ampliá-la)

Demanda adicional

“Para 2030, esperamos que o total de SAF seja na ordem de 20 milhões de litros de etanol, o que representa 4,5% de todo SAF que esperamos ver no mundo daqui a 7 anos. Com isso, esperamos que o etanol responda por 25% de todo SAF, ou seja, até 2030 temos uma demanda adicional de 9 bilhões de litros de etanol”, disse Paulo Neves, v

Produzido a partir de matéria-prima renovável, o SAF é capaz de reduzir cerca de 80% o volume total de emissões de gases de efeito estufa em comparação ao combustível fóssil de aviação, segundo estimativa da IATA (Associação Internacional de Transportes Aéreos).

Para atender a essa demanda, estão sendo construídas, em vários países, plantas para produção de SAF a partir da rota Alcohol to Jet (ATJ), um processo que converte etanol em SAF.

Fonte: Raízen

Matéria originalmente publicada no EnergiaHoje em 21 de agosto de 2023.

Comments are closed.

Abrir Whatsapp
Precisa de ajuda?
Olá!
Posso te ajudar?