Planos de transmissão requer investimentos bilionários em três leilões

“Recebi uma diretriz clara do presidente Lula: transformar o Nordeste brasileiro no maior celeiro de energia limpa e renovável do mundo", disse o Alexandre Silveira, do MME

O Plano de Outorgas de Transmissão de Energia Elétrica (Potee) definirá os investimentos para escoar renováveis na região Nordeste, contemplando R$ 56 bilhões ao longo de 2023 e 2024. Ao todo, serão três grandes leilões com 24 lotes para ingresso de renováveis no Sistema Elétrico Brasileiro.

O anúncio foi feito durante a reunião do Consórcio Nordeste, realizada em Fortaleza (CE), que contou com a presença de governadores dos estados nordestinos.

“Recebi uma diretriz clara do presidente Lula: transformar o Nordeste brasileiro no maior celeiro de energia limpa e renovável do mundo. Estamos focados integralmente nessa tarefa, de modo a viabilizar a instalação desse potencial incrível de 30 GW de geração de energia renovável do Nordeste, que deverá destravar mais de R$ 120 bilhões em investimentos privados”, comunicou o ministro, em fala rápida de pouco mais de 15 minutos.

De acordo com o MME, os novos sistemas de transmissão a serem leiloados vão aumentar a confiabilidade do atendimento à demanda local e atender à forte expansão de oferta de geração renovável, em especial das fontes solar e eólica, além de ampliar a capacidade de intercâmbio entre as regiões Norte/Nordeste e Sudeste/Centro-Oeste.

Alexandre Silveira disse que já está na Aneel o processo para o leilão do primeiro semestre deste ano, de R$ 16 bilhões. “Tenho pedido muito que a Aneel se debruce na velocidade desses processos”, acrescentou.

O ministro confirmou outro leilão, de R$ 20 bilhões, até o fim do ano, e, para 2024, a captação de outros R$ 20 bilhões para transmissão no Nordeste em novos certames da Aneel. “Esses recursos vão destravar o potencial da industrialização do Nordeste com energia limpa e barata, mantendo o foco no desenvolvimento social, econômico e ambiental, em linha com o compromisso do governo federal na geração de emprego e renda”, concluiu Silveira.

Plano de outorgas

No encontro, o secretário de Transição Energética e Planejamento do MME, Thiago Barral, apresentou o detalhamento do plano de outorgas, revelando que o primeiro leilão viabilizará linhas de transmissão e subestações ao longo de toda a região nordestina e que outro leilão, no segundo semestre, irá contratar uma grande linha de transmissão do Maranhão até Goiás.

“Vai ser a execução do primeiro bipolo em corrente contínua da região Nordeste, que ligará a Subestação de Graça Aranha, no Maranhão, à de Silvânia, em Goiás, escoando até 5 GW de energia por meio de uma linha de transmissão de 800 quilovolts”, destacou Barral.

Segundo o MME, a maior parte das obras do plano de outorgas está direcionada ao Nordeste, conforme indicação de estudos de reforços estruturais da EPE, mas haverá projetos contemplados também em Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande Do Sul, São Paulo e Tocantins.


Matéria originalmente publicada no EnergiaHoje em 05/05/2023.

Comments are closed.

Abrir Whatsapp
Precisa de ajuda?
Olá!
Posso te ajudar?