A hora e a vez do SURF em águas brasileiras

Aquecimento do segmento de FPSOs da Petrobras impulsiona contratações de SURF no Brasil, projetando pico de atividades offshore recorde para 2025/2026

O Brasil está mobilizando a atenção das empresas internacionais de SURF, concentrando não só a maior parte dos negócios de EPCI em curso como também os contratos por vir, deixando para trás tempos difíceis enfrentados pelo segmento. O aquecimento do mercado vem sendo impulsionado pela Petrobras, que sozinha irá assegurar, somente no curto e médio…

Se já for assinante, faça seu login

Entrar
Ou
Nosso conteúdo é exclusivo para assinantes, mas
você pode se cadastrar para continuar lendo

e ainda ter acesso a 3 matérias por mês. (apenas para não assinantes)

Cadastre-se aqui


Ou

O assinante da Brasil Energia tem acesso ilimitado a conteúdo exclusivo sobre todo o setor energético
elaborado por jornalistas qualificados e a análises de especialistas do mercado.
Apoie o jornalismo especializado e faça a sua assinatura por menos de R$ 2,70 por dia.

Assine

Comments are closed.

Abrir Whatsapp
Precisa de ajuda?
Olá!
Posso te ajudar?