À espera de energia barata para voltar a produzir

Setor de alumínio primário reduz pela metade produção em função do alto custo da eletricidade; expectativa é religar fábricas para atender retomada no consumo de produtos finais

Difícil encontrar um setor industrial que exemplifique mais a baixa competitividade brasileira em suprimento de energia para a produção do que o de alumínio. Na última década, o segmento de alumínio primário, o elo principal e eletrointensivo da cadeia, foi reduzido à metade por conta do alto custo da eletricidade. Em 2008, a produção de alumínio…

Se já for assinante, faça seu login

Entrar
Ou
Nosso conteúdo é exclusivo para assinantes, mas
você pode se cadastrar para continuar lendo

e ainda ter acesso a 3 matérias por mês. (apenas para não assinantes)

Cadastre-se aqui


Ou

O assinante da Brasil Energia tem acesso ilimitado a conteúdo exclusivo sobre todo o setor energético
elaborado por jornalistas qualificados e a análises de especialistas do mercado.
Apoie o jornalismo especializado e faça a sua assinatura por menos de R$ 2,70 por dia.

Assine
Ou

Você pode ler nosso conteúdo exclusivo adquirindo pacotes de créditos para acessar matérias avulsas

COMPRE AQUI

Comments are closed.

Abrir Whatsapp
Precisa de ajuda?
Olá!
Posso te ajudar?